Feliz Ano Novo!

 

 

Eu arrumava o quarto quando Sophia apareceu e pediu para eu colocá-la no berço. Em alguns segundos, parte dos objetos que estavam sobre a cômoda apareceram no chão, atirados um a um por ela. Numa atitude tipicamente estressada, eu simplesmente a retirei do berço, reclamei que ela bagunçava enquanto eu arrumava e continuei o meu trabalho. Poucos minutos depois, sem que  eu percebesse, aparece Sophia no berço novamente.

– Como é que você foi parar aí?

Ela apontou para a cama, usada como apoio para alcançar a cabeceira do berço, deu um sorriso triunfante e disse olhando nos meus olhos:

Oxinha!

– Você entrou no berço sozinha, minha filha?

De novo, ela balançou a cabeça afirmativamente e disse:

Oxinha!

Comemoramos juntas a façanha, enquanto eu registrava aquele sorrisinho sapeca na minha memória para jamais esquecê-lo.

Imediatamente eu lembrei-me de um pediatra, que me disse que a “vantagem” de ter um filho com síndrome de Down é que ele nunca irá nos deixar (não preciso dizer que ele só examinou minhas filhas uma vez). Não consigo imaginar nada mais egoísta do que ver a eventual dependência de um filho como uma vantagem. Ao mesmo tempo, refleti sobre o quanto uma afirmação como estas carrega de falta de fé na capacidade do outro.

A Inclusão para a Autonomia foi o grande tema do Dia Internacional da Síndrome de Down em 2009. Que em 2010 esta idéia amadureça e se torne ainda mais efetiva, não só em relação às pessoas com Síndrome de Down mas a todos aqueles que, por conta da deficiência, ainda são vistos e tratados como eternas crianças.

Basta ser filho, para ser pra sempre. Minha filha Nathalia, que não tem síndrome de Down, não vai deixar de ser minha filha mais cedo do que Sophia. Elas serão minhas filhas eternamente. Mas o meu coração de mãe, com todos os vícios e fraquezas que lhe são permitidos,  prepara-se desde já para deixá-las ir. Com seus dois aninhos e mais um pouco, Sophia já conhece o gosto da conquista alcançada com os próprios recursos, à custa do próprio esforço. Ela já sabe o quanto é bom estar no lugar em que se quer, a despeito de alguém querer impedi-la de chegar lá.

Que o Ano Novo venha repleto de conquistas, pessoais e coletivas, para tornar a vida das pessoas com deficiência cada vez melhor.

Numa sociedade inclusiva, o bem de um é o bem da maioria.

 Feliz Natal e um ano de 2010 abençoado!!!

 São os votos de Ana Paula, Nathalia e Sophia

5 Comentários

Arquivado em Nós três

5 Respostas para “Feliz Ano Novo!

  1. Vivi Reis

    Linda Aninha, lindas!!!
    Você descreveu em poucas palavras o grande receio que temos como maes de uma criança com SD, a da dependência. Neste momento o mais importante é soubemos dar a vida e daqui pra’ frente continuar lado a lado sem medo de que depois nossos bebes cresçam e vivam por conta própria. Que bom!!! Que maravilha!!! Que assim seja!!! Que a Sophia e a Clarinha, assim como a Nathalia e o João Pedro possam caminhar passo a passo o presente deles para que se transforme em um futuro lindo.
    O amor é inclusivo, é passivo, mas é mais do que tudo LIVRE, deixar livre.
    Feliz 2010 para vocês 3, meninas-mulheres.
    Um grande beijo,
    Vivi, João Pedro e Maria Clara.
    p.s. vc recebeu nosso cartão de natal e ano novo?

    • barrigainclusiva

      Vivi,
      Obrigada mais uma vez pelo seu carinho. O maior direito das nossas crianças, e que às vezes nós mesmos, mães e pais, somos os primeiros a violar, é o de experimentar. Eu acredito piamente que se alguém tem o impulso de fazer algo, é porque ele pode. As crianças precisam ter a chance de testar suas possibilidades, sem que as tolhamos, amparados pela desculpa de protegê-los. É um exercício diário de amor e respeito pelo outro, que é parte de nós mas que também é alguém muito diferente de nós. Isso vale pra qualquer filho, com ou sem deficiência.
      Feliz 2010 pra vocês também!
      Um grande beijo de Ana Paula, Sophia e Nathalia
      p.s. Que cartão lindo!!!!

  2. O céu é o limite e, quando nossos filhos descobrem esta palavrinha mágica: “sozinho”, ai ai, sai de baixo que o bloco vai passar.

    ELAS ESTÃO DIVINAS E SOBERANAS.

    Beijos
    Tan e Uli

  3. alessandra

    Paula…..se me permite te chamar assim….Paula querida!!!!

    sou da PR,já conversamos anteriormente,quando postei sobre minha aluna cadeirante…hoje conheci seu blog….
    posso te dizer que se já a admirava,agora muito mais….
    que Deus abençoe sempre você,sua família toda ,suas filhas lindas e seu amor e coração enorme…..
    muito estou aprendendo sobra inclusão neste ano…e muito me deparando bem de perto com o preconceito….

    mas fé,coragem e luta…esses são nossos lemas….

    abraços

    • barrigainclusiva

      Alessandra,

      desculpe ter respondido somente agora ao seu comentário.
      Obrigada pelas palavras carinhosas, espero que vc tenha muito êxito no seu trabalho.
      Pessoas como vc sao muito importantes para que a inclusao seja uma realidade.

      Bjos!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s